ONU define comissão que vai investigar ofensiva israelense na Faixa de Gaza

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

Aristóteles
Outras notícias sobre política


14 de junho de 2010

Brasília - O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos determinou hoje (14) que três especialistas independentes investiguem a ofensiva militar de Israel à Faixa de Gaza em dezembro de 2008 e janeiro de 2009. Os israelenses afirmaram que apenas reagiram a ataques anteriores provocados pelo Hamas – organização palestina que controla a região. O ato provocou mais de 400 mortes e protestos na Europa e nos Estados Unidos.

A comissão será presidida pela juíza estadunidense, Mary McGowan Davis, mas integram o grupo o professor alemão Christian Tomuschat e o jurista malaio Param Cumaraswamy. A base de análise dos especialistas será o relatório Goldstone.

O relatório Goldstone é o resultado de três meses de uma investigação conduzida pelo juiz sul-africano Richard Goldstone. Nele, o juiz concluiu que tanto israelenses e como militantes palestinos são responsáveis por atos criminosos típicos de situações de conflito armado – os chamados crimes de guerra.

A alta comissária da ONU, Navi Pillay, disse que a comissão vai monitorar e avaliar o processo, considerando o relatório Goldstone, mas também abre possibilidades para que autoridades de Israel e da Palestina apresentem explicações.

Estimativas da época do conflito indicaram que mais de 400 pessoas foram mortas, pelo menos 15% eram civis. A maioria de origem palestina. Entre os israelenses, foram registrados quatro mortos. A ofensiva israelense na Faixa de Gaza provocou reações no mundo: houve manifestações em Paris, em Londres, além de Haia e Amsterdão, nos Países Baixos.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati