No Rio, Mangueira e Portela encerram desfiles na noite de hoje

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

27 de fevereiro de 2017

O grupo especial do Rio de Janeiro terá hoje (27) sua segunda noite de desfiles, que será encerrada pelas duas maiores campeãs do carnaval: Portela e Mangueira.

Na primeira noite, desfiles grandiosos de Beija-Flor e Salgueiro e as participações emocionantes na Grande Rio e na Imperatriz foram os destaques. Na Paraíso do Tuiuti, um carro alegórico atropelou 20 pessoas e três estão internadas, em estado grave, no Hospital Souza Aguiar.

Às 22h, o desfile começa com a União da Ilha e seu enredo sobre o tempo, em uma perspectiva trazida por lendas angolanas. A escola vai mostrar o poder transformador do tempo e sua regência sobre a "árvore da vida", criando, como diz a sinopse do enredo, "a cronologia entre as raízes do passado, as folhas do presente e os frutos do futuro".

O segundo desfile, às 23h25, é o da São Clemente, escola que escolheu o curioso enredo Onisuáquimalipanse, palavra inventada para aportuguesar a frase "envergonhe-se quem pensar mal disso", em francês. Ambientado na França, de Luís XV, o enredo vai contar uma história de palácios extravagantes, vaidade e corrupção.

A terceira escola da noite é a Mocidade de Padre Miguel, que vai ao clássico As Mil e Uma Noites resgatar o conto de Sherazade para falar sobre o Marrocos. Palácios, hábitos e religião devem entrar no enredo, que vai lembrar também a imigração árabe para o Brasil.

A Unidos da Tijuca vai unir o saxofonista Louis Armstrong e o compositor Pixinguinha, em uma homenagem à importância dos dois para a música do Continente Americano. O enredo cria a partir de um encontro real entre os gênios, ocorrido em 1957, no Palácio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro. O desfile está marcado para 2h15.

Logo depois, é a Portela que desfila na Marquês de Sapucaí, às 3h40. A escola de Madureira vai falar do papel central dos rios na vida humana, desde a formação das civilizações, o comércio e a urbanização. A fé, os mitos e a necessidade de preservação dos rios também estão na programação da escola.

Campeã no ano passado, a Mangueira entra com peso na avenida, às 4h50, e pede intercessão aos santos para ganhar mais um carnaval. A escola vai levar para a Sapucaí os santos que marcam a fé brasileira, sejam eles católicos ou de matriz africana.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati