NOAA ainda espera temporada de furacões no Atlântico acima do normal

Fonte: Wikinotícias

30 de agosto de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

As condições atmosféricas e oceânicas ainda favorecem uma temporada de furacões acima do normal no Atlântico em 2022, de acordo com a atualização anual de meia temporada da NOAA divulgada no início de agosto pelo Centro de Previsão Climática, uma divisão do Serviço Nacional de Meteorologia.

“Peço a todos que permaneçam vigilantes enquanto entramos nos meses de pico da temporada de furacões”, disse a secretária de Comércio Gina Raimondo. “Os especialistas da NOAA continuarão a fornecer os dados e os serviços necessários para ajudar as comunidades a se tornarem resilientes a furacões e preparadas para o clima pelo restante da temporada de furacões e além.”

Os meteorologistas da NOAA diminuíram ligeiramente a probabilidade de uma temporada de furacões no Atlântico acima do normal para 60% (em maio a previsão era de 65%). A probabilidade de atividade quase normal aumentou para 30% e as chances permaneceram em 10% para uma temporada abaixo do normal.

A atualização da NOAA para as perspectivas de 2022 - que cobre toda a temporada de furacões de seis meses que termina em 30 de novembro - ainda previa 14 a 20 tempestades nomeadas (ventos de 39 mph ou mais), das quais 6 a 10 podem se tornar furacões (ventos de 74 mph ou mais). Destes, 3-5 podem se tornar grandes furacões (ventos de 111 mph ou mais). A NOAA fornece esses dados com 70% de confiança.

Existem várias condições atmosféricas e oceânicas que ainda favorecem uma temporada de furacões ativa. Isso inclui as condições de La Niña, que devem vigorar pelo resto de 2022 e podem permitir que as condições atuais da era de alta atividade dominem ou melhorem ligeiramente a atividade dos furacões. Além de um La Niña contínuo, ventos alísios tropicais mais fracos do Atlântico, uma monção ativa da África Ocidental e temperaturas da superfície do mar do Atlântico provavelmente acima do normal preparam o cenário para uma temporada de furacões ativa e refletem a era de alta atividade em andamento para os furacões no Atlântico.

Agosto pode terminar com um recorde

Área de distúrbio 91L, que tem 50% de chances de se transformar num ciclone tropical até amanhã

Meteorologistas do mundo todo observam o Atlântico Norte de olho em algumas áreas de distúrbio que estão em desenvolvimento e que podem ser nomeadas nos próximos dias, se seus ventos ciclônicos sustentados alcançarem 65km/h. Se nenhum destes sistemas for nomeado até o dia 31 próximo, será a primeira vez em 25 anos que nenhum ciclone tropical terá sido nomeado no Oceano Atlântico Norte num mês de agosto. "Apenas duas outras estações, desde que os registros começaram em 1960, tiveram agosto sem tempestades tropicais ou furacões no Oceano Atlântico: 1961 e 1997", reportou o portal Accu Weather.

Fontes

  • August development record may be spoiled as Atlantic awakens — Accu Weather, 28 de agosto de 2022  
  • NOAA still expects above-normal Atlantic hurricane season — NOAA, 4 de agosto de 2022