Número de turistas triplica no carnaval de rua este ano em São Paulo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

1 de março de 2017

O crescimento do Carnaval superou as expectativas da Anhembi Parque£São Paulo Turismo (SPTuris). O aumento no número de turistas no Sambódromo do Anhembi foi 167% (passando de 7 para 20% do público) e no Carnaval de Rua já marca 203% (indo de 3% para quase 10% dos foliões).

O levantamento foi feito pelo Observatório de Turismo e Eventos, núcleo de estudos e pesquisas da SPTuris. No Sambódromo foram entrevistadas mais de 1,1 mil pessoas nos dias 24 e 25 de fevereiro. Nas ruas da cidade, as entrevistas foram feitas com mais de 900 pessoas, mas o levantamento segue até o dia 5 de março, quando termina os desfiles de blocos. Para ambas as pesquisas, o nível de confiança é 95% e a margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os paulistanos também hospedaram mais parentes e amigos em suas casas para curtir o Carnaval: o crescimento foi 890% entre os que estiveram no Sambódromo e 388% entre os foliões dos blocos. Os turistas estrangeiros representaram cerca de 1% do público de outros países, o mesmo de 2016.

E os turistas também deixaram mais dinheiro na cidade. Com permanência de três dias, o gasto médio em 2016 foi R$ 617. Em 2017 o turista gastou R$ 957 em três dias. O aumento foi 55,1% em relação ao Carnaval do ano passado.

Em 2016, apenas 2% dos entrevistados que estavam no Sambódromo disseram que iriam a outros eventos. Na pesquisa deste ano, 57% dos entrevistados falaram que curtiriam o Carnaval além do Sambódromo. Desses, 33% afirmaram que iriam para os blocos de rua.

No Carnaval de Rua, as parciais mostram que 77,6% das pessoas disseram que a organização melhorou, ou melhorou muito. No Sambódromo, a organização foi considerada melhor em relação ao ano anterior por 76,2% dos entrevistados.

Fonte

Notícias Relacionadas

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati