Muçulmanos pedem calma antes da publicação de jornal com nova charge de Maomé

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

13 de janeiro de 2015

França

As principais organizações muçulmanas da França apelaram hoje (13) a seus fiéis para “manter a calma e evitar reações emotivas”, um dia antes da publicação da nova edição do jornal satírico Charlie Hebdo após o ataque terrorista da semana passada. A edição de amanhã (14) terá na capa uma caricatura do profeta Maomé, segurando um cartaz com a inscrição Je suis Charlie (Eu sou Charlie) e com o título: Tout est pardonné (Tudo está perdoado).

O Conselho Francês do Culto Muçulmano e a União das Organizações Islâmicas da França divulgaram hoje comunicado conjunto em que pedem à comunidade muçulmana que “mantenha a calma e evite reações emotivas que sejam incompatíveis com a sua dignidade” e que dê mostras de “respeito pela liberdade de expressão”.

Muitos muçulmanos consideram ofensiva a publicação de desenhos ou caricaturas de Maomé, já que os princípios islâmicos proíbem a representação humana do profeta. Os atentados começaram com um ataque ao Charlie Hebdo. Depois de dois dias em fuga, os autores do ataque, os irmãos Said Kouachi e Cherif Kouachi, de 32 e 34 anos, foram mortos sexta-feira (9), por forças de elite francesas, em Dammartin-en-Goële, nos arredores de Paris.

Na quinta-feira (8), foi morta uma agente da polícia municipal, no sul de Paris. A polícia estabeleceu uma ligação entre os dois jihadistas suspeitos do atentado ao Charlie Hebdo e o assassinato da policial.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati