Moçambique regista redução acentuada de infecções de HIV em crianças

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Moçambique.

Agência VOA

Taxa de redução foi de 57 por cento entre 2005 e 2013.

1 de dezembro de 2014

Moçambique

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estima que 1,1 milhão de infecções por HIV entre crianças com menos de 15 anos foram evitadas e novos casos caíram em mais de 50 por cento entre 2005 e 2013. Moçambique está entre os países que registaram reduções mais significativas.

Segundo o Unicef, este "progresso extraordinário" é resultado da expansão do acesso de milhões de mulheres grávidas a viver com o HIV a serviços de prevenção da transmissão da mãe para o bebé.

O director-executivo daquele organismo da ONU, Anthony Lake afirmou que "se é possível evitar 1,1 milhão de novas infecções de HIV em crianças, é possível proteger todas as crianças do HIV". Por isso ele defendeu ainda mais investimentos para o sector.

Em Moçambique a redução foi de 57 por cento. Os demais países africanos que registaram significativas reduções foram Malaui, Etiópia, Zimbabué, Botsuana, Namíbia, África do Sul e Gana.

No entanto, o Unicef alerta que o objectivo global de reduzir as novas infecções de HIV em crianças em 90% entre 2009 e 2015 ainda está "fora do alcance".

Em 2013, apenas 67% das mulheres grávidas a viver com HIV em países de renda média e baixa receberam os medicamentos mais eficazes para prevenção da transmissão para os bebés.

De acordo com a agência da ONU, a disparidade no acesso ao tratamento dificulta o combate à doença. Segundo Unicef entre pessoas a viver com HIV em países de médio e baixo rendimento, os adultos têm maior probabilidade do que as crianças de receberem o tratamento anti-retroviral.

A tendência de mortalidade da SIDA para adolescentes também causa preocupação. Enquanto as mortes relacionadas com a sida em todos os outros grupos etários caíram cerca de 40 por cento entre 2005 e 2013, os adolescentes, com idades entre 10 e 19 anos, formam o único grupo em que estas mortes não estão a diminuir.

Assinala-se hoje, 1 de Dezembro, o Dia Internacional de Luta Contra o SIDA (ou AIDS).

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati