Moçambique regista redução acentuada de infecções de HIV em crianças

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Moçambique.

Agência VOA

Taxa de redução foi de 57 por cento entre 2005 e 2013.

1 de dezembro de 2014

Moçambique

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estima que 1,1 milhão de infecções por HIV entre crianças com menos de 15 anos foram evitadas e novos casos caíram em mais de 50 por cento entre 2005 e 2013. Moçambique está entre os países que registaram reduções mais significativas.

Segundo o Unicef, este "progresso extraordinário" é resultado da expansão do acesso de milhões de mulheres grávidas a viver com o HIV a serviços de prevenção da transmissão da mãe para o bebé.

O director-executivo daquele organismo da ONU, Anthony Lake afirmou que "se é possível evitar 1,1 milhão de novas infecções de HIV em crianças, é possível proteger todas as crianças do HIV". Por isso ele defendeu ainda mais investimentos para o sector.

Em Moçambique a redução foi de 57 por cento. Os demais países africanos que registaram significativas reduções foram Malaui, Etiópia, Zimbabué, Botsuana, Namíbia, África do Sul e Gana.

No entanto, o Unicef alerta que o objectivo global de reduzir as novas infecções de HIV em crianças em 90% entre 2009 e 2015 ainda está "fora do alcance".

Em 2013, apenas 67% das mulheres grávidas a viver com HIV em países de renda média e baixa receberam os medicamentos mais eficazes para prevenção da transmissão para os bebés.

De acordo com a agência da ONU, a disparidade no acesso ao tratamento dificulta o combate à doença. Segundo Unicef entre pessoas a viver com HIV em países de médio e baixo rendimento, os adultos têm maior probabilidade do que as crianças de receberem o tratamento anti-retroviral.

A tendência de mortalidade da SIDA para adolescentes também causa preocupação. Enquanto as mortes relacionadas com a sida em todos os outros grupos etários caíram cerca de 40 por cento entre 2005 e 2013, os adolescentes, com idades entre 10 e 19 anos, formam o único grupo em que estas mortes não estão a diminuir.

Assinala-se hoje, 1 de Dezembro, o Dia Internacional de Luta Contra o SIDA (ou AIDS).

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati