Moçambique prepara candidatura ao Conselho de Segurança da ONU

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

24 de outubro de 2020

A diplomacia moçambicana já está a mexer-se nos corredores internacionais para apresentar a sua candidatura a membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU.

“Estamos a fazer um trabalho interno ao nível regional da SADC, e é um processo que depois seguirá para o nível da União Africana, até chegar ao nível da candidatura para a eleição, em 2022”, explica Manuel Gonçalves, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação.

Calton Cadeado, docente em Relações Internacionais e diplomacia, destaca a importância de ser membro do Conselho de Segurança, mas considera ser importante que o país conheça os objetivos estratégicos.

Moçambique quando vai para lá vai com um interesse, e é preciso sabermos que interesse é esse. Tudo o que podemos falar agora seria especulativo porque o governo ainda não disse o que é, contudo, a título especulativo, podemos dizer que Moçambique, perto do poder que manda no mundo, pode, por exemplo, aproveitar para falar da situação de Cabo Delgado e fazer mais coisas a seu favor”, defende aquele académico.

O diretor-adjunto do Centro dos Estudos Estratégicos e Internacional, Emílio Zeca, considera que as possibilidades de Moçambique ser eleito são, de certa forma, consideráveis.

“Os membros não permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas são eleitos por representatividade regional e nós temos uma vantagem que é estar numa região que é a SADC em que os consensos para participar destas iniciativas são convergentes na organização”, avalia Zeca.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com