Moçambicanos e ucranianos vão substituir sul-africanos na guerra em Cabo Delgado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

29 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A luta contra os rebeldes islâmicos na província moçambicana de Cabo Delgado entra numa nova fase na próxima semana quando terminar o contracto do governo com a companhia privada de segurança sul-africana Dyck Advisory Group (DAG).

No mês de Abril espera-se que entrem em combate helicópteros pilotados por moçambicanos acabados de receber treino na África do Sul e ainda um número ainda desconhecido de outros helicópteros tripulados por ucranianos.

A DAG tem estado a operar helicópteros nas zonas de combate de Cabo Delgado tendo jogado papel primordial em muitas ocasiões em rechassar ataques dos insurgentes que ali operam.

O fundador da companhia, Lionel Dyck, confirmou ao portal sul-africano de notícias News24 que o contracto expira no próximo dia 6 de Abril.

Cerca de 15 pilotos moçambicanos estavam a ser treinados na África do Sul pela Academia de Treino Técnico da companhia sul-africana Paramount Group que tinha tambem já fornecido dois helicópteros Gazelle à força aérea moçambicana para o combate aos rebeldes islâmicos em Cabo Delgado.

O portal DefenceWeb disse que esses dois helicópteros são parte de “um número maior” fornecido pela Paramount ao Governo moçambicano.

A empresa comprou recentemente 30 Gazelles ao exército britânico e os dois vistos em Moçambique faziam parte de um grupo de 13 “armazenados” desde 2012 pelo exército britânico.

Ucranianos vão tripular helicópteros russos

A DefenceWeb disse por outro lado disse que helicópteros Mi-17 e Mi-24 de fabrico russo vão também ser usados na guerra naquela provincia.

O portal Zitamar disse que dois desses helicópteros serão tripulados por ucranianos.

Outras noticias indicam que esses helicópteros serão também fornecidos pelo grupo sul africano Paramount em segunda mão.

Outra companhia, a Burnham Global, está também envolvida em apoio a Moçambique fornecendo treino no uso de carros blindados recentemente adquiridos pelo governo moçambicano.

A Burnham Global descreve-se a si própria como “empenhada em ajudar governos a garantirem paz e segurança sustentáveis através do melhoramento das capacidades dos seus serviços de segurança”.

Segundo a DefenceWeb a Paramount e a Burnham Global assinaram em Fevereiro um acordo de “vários milhões de dólares” com um governo africano cujo nome não foi mencionado mas que se pensa ser Moçambique.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit