Missão brasileira irá ao Líbano para oferecer ajuda na reconstrução do país

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de outubro de 2006

Brasília, Brasil — O Ministério das Relações Exteriores enviará ao Líbano, entre os dias 16 e 18 deste mês, missão de cooperação para identificar áreas nas quais o Brasil pode ajudar na reconstrução do país. A ajuda foi pedida pelo primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, ao ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, no dia 15 de agosto, durante viagem do chanceler brasileiro àquele país.

A delegação será chefiada pelo diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), embaixador Luiz Henrique Pereira da Fonseca. Também farão parte da missão representantes dos departamentos de Promoção Comercial e de Promoção Cultural do Ministério de Relações Exteriores.

A missão será composta ainda por representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), dos ministérios da Educação, da Saúde e de Minas e Energia e da Caixa Econômica Federal.

A delegação irá oferecer ao governo do Líbano vagas para estudantes libaneses nos programas de estudantes Convênio de Graduação e Pós-Graduação.

Representantes de empresas e associações comerciais brasileiras que têm vínculos com o Líbano também farão parte da missão, com o objetivo de estimular o comércio bilateral e identificar áreas nas quais possam investir.

O Líbano ficou destruído depois de um conflito com Israel, que começou no dia 12 de julho e durou cerca de um mês. As hostilidades entre os dois países começaram depois que dois soldados israelenses foram seqüestrados por militantes do grupo xiita Hizbollah, que atua no sul do Líbano. Com isso, o Exército israelense atacou áreas de atuação do grupo xiita e outras regiões do país, entre as quais, a da capital libanesa, Beirute.

Uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas propôs um cessar-fogo entre os dois países e, atualmente, uma força de paz da ONU está no Líbano.

Fontes