Ministro Paulo Guedes cria polêmica com empregadas domésticas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

13 de fevereiro de 2020

Ao comentar a constante alta do dólar num seminário em Brasília ontem, o Ministro da Economia Paulo Guedes acabou causando uma grande polêmica com a classe das empregadas domésticas, recebendo críticas de usuários de redes sociais e da imprensa. Durante o evento ele disse que “não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Empregada doméstica indo pra Disneylândia, uma festa danada. Mas espera aí? Espera aí. Vai passear ali em Foz do Iguaçu”, numa referência ao que ele acreditava ser um hábito da classe C brasileira quando o dólar estava mais baixo.

A BBC Brasil escreveu que “além de despertar críticas pelo tom considerado classista com que se referiu a funcionários domésticos, o ministro errou ao afirmar que a categoria frequentava a Disneylândia quando a cotação do dólar era mais baixa”, pois, segundo estudos divulgado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), viagens internacionais ficaram em último lugar na lista de consumo durante o chamado "boom da classe C", que tinha no topo bens e serviços como casas próprias, motocicletas, cursos profissionalizantes, celulares, computadores e carros.

Numa postagem nas redes sociais, uma usuária do Twitter escreveu: “Em que Brasil você vive? Minha mãe trabalhava a semana inteira na casa de várias senhoras e ainda era manicure e confeiteira, mas nunca conseguiu nem sair da cidade para visitar os pais”.

A alta do dólar

O dólar bateu novo recorde ontem, sendo cotado a 4,35 no final do dia, a maior cotação desde o início do Plano Real.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com