Ministro é morto no Sudão depois do anúncio do governo de que referendo será efetivado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

9 de fevereiro de 2011

O ministro do Desenvolvimento Rural e Cooperativas de Desenvolvimento Rural do Sul do Sudão, Jimmy Lemi Milla, e um de seus guarda-costas foram mortos hoje (9) a tiros. A polícia sudanesa investiga o crime. Um dos suspeitos é o motorista que trabalhava para o ministro. As informações são da agência portuguesa Lusa.

O crime ocorre no momento em que o Sudão se prepara para efetivar a divisão territorial do país, tornando o Sul independente. A decisão será possível, pois a maior parte do eleitorado sudanês votou favorável à separação do Estado. Em nota, o governo brasileiro apoiou o processo eleitoral e disse confiar nas mudanças em curso.

Pelos resultados das eleições, divulgados no último dia 7, apenas 1,17% dos 98,83% dos votos válidos foi contrário à divisão do Sudão em dois territórios. O referendo, que ocorreu em janeiro, foi parte de um acordo de paz assinado em 2005.

Por esse acordo foi encerrado um longo período de guerra civil entre o Norte sudanês – dominado por muçulmanos – e o Sul – onde a liderança é dos cristãos e outras religiões. Porém, o acordo vence em julho e põe em discussão também os recursos oriundos da comercialização do petróleo e minérios.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com