Ministério recomenda fechamento de creche em Florianópolis após caso de gripe suína

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

6 de junho de 2009

Brasília, Distrito Federal, Brasil

O Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde de Santa Catarina e a Secretaria Municipal de Florianópolis recomendaram a suspensão das atividades de uma creche da capital após a confirmação de que uma aluna foi infectada pelo vírus influenza A (H1N1) – gripe suína. Segundo nota divulgada hoje (6) pelo Ministério, ela manteve contato com um paciente infectado que esteve fora do país.

Nesse caso, a transmissão é chamada de autóctone, ou seja, ocorreu dentro do território nacional com uma pessoa que teve contato com infectados vindos do exterior. As 19 crianças com que a aluna divide espaço, os funcionários da creche e outras pessoas que tiveram contato com ela estão sendo monitoradas pelas autoridades de saúde municipais e estaduais.

Hoje o ministério confirmou mais quatro novos casos de influenza A (H1N1) – gripe suína. Agora são 35 casos confirmados no país, além de mais 35 em monitoramento. Na segunda-feira, eram 20 pacientes infectados, o que significa um aumento de 15 casos em menos de uma semana.

Os quatro novos pacientes confirmados com a doença são de São Paulo, Rio de janeiro e Tocantins. Segundo o ministério, todos estão em isolamento domiciliar e passam bem. No caso registrado no Tocantins, a transmissão foi autóctone. Os casos registrados no Rio de janeiro e São Paulo são de pessoas que estiveram fora do país.

Mesmo com o registro de nove transmissões que ocorreram dentro do país, o Ministério da Saúde considera que a transmissão no Brasil é limitada, sem evidências de transmissão sustentada do vírus de pessoa a pessoa.

Confira os estados onde há casos confirmados e suspeitos da doença:

Estado; Confirmados (C); Suspeitos (S)

São Paulo, 15 (C), 13 (S)

Rio de janeiro, 8 (C), 3 (S)

Santa Catarina, 5 (C), 1 (S)

Mato Grosso, 2 (C), 0 (S)

Tocantins, 3 (C), 2 (S)

Minas Gerais, 1 (C), 5 (S)

Rio Grande do Sul, 1 (C), 0 (S)

Paraná, 0 (C), 4 (S)

Pernambuco, 0 (C), 1 (S)

Goiás, 0 (C), 1 (S)

Espírito Santo, 0 (C), 1 (S)

Rio Grande do Norte, 0 (C), 2 (S)

Rondônia, 0 (C), 2 (S)

TOTAL: 35 (C), 35 (S)

Fonte: Ministério da Saúde

Fonte