Militares protestam contra Lula no Rio de Janeiro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de junho de 2005

Brasil — Segundo o jornal O Estado de São Paulo aproximadamente 600 pessoas protestaram ontem no Rio de janeiro contra o governo do Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva. Os manifestantes eram em sua maior parte militares da reserva ou reformados e seus parentes. Alguns militares da ativa também participaram da manifestação, apesar de ser proibido.

Os militares pedem uma valorização das Forças Armadas e cobram do Presidente o aumento dos soldos e pensões. O governo brasileiro por intermédio do Ministro da Defesa José Viegas disse em 2004 que daria um reajuste no valor de 23%, todavia até agora não ocorreu nenhum aumento.

Segundo o reformado capitão-de-mar-e-guerra Jaime Cezar Gerin Guimarães o Presidente da República deve cumprir suas promessas do contrário “isso balança a hierarquia”.

Os manifestantes criticaram o governo pelo fato de não liberar mais recursos para os militares e ao mesmo tempo fornecer verbas para o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). De acordo com o coronel reformado do Exército Odin de Albuquerque: “As Forças Armadas estão sofrendo um desmonte, e o governo ainda faz provocação quando dá dinheiro para o outro lado, para o MST”.

Segundo o general reformado Durval Andrade Nery “a democracia está ameaçada”.

O reformado coronel aviador Juarez de Deus Gomes da Silva disse que “o MST não passa do braço armado do PT” e relatou que está em andamento “um processo nazista-comunista” no governo supostamento conduzido pelos ministros José Dirceu e Luiz Gushiken.

Fontes