Militares do Gabão tomam o poder; presidente está em prisão domiciliar

Fonte: Wikinotícias
Ali Bongo Ondimba em 2012

31 de agosto de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Oficiais do exército do Gabão, nação centro-africana, disseram que tomaram o poder na quarta-feira, colocaram o presidente Ali Bongo Ondimba em prisão domiciliária e nomearam um novo líder do país.

O General Brice Clotaire Oligui Nguema, chefe da Guarda Republicana, foi designado presidente da comissão de transição.

Oligui é primo de Bongo. Ele havia sido guarda-costas do falecido pai de Bongo, o presidente Omar Bongo, e era o chefe do serviço secreto antes de se tornar o líder da guarda.

Os soldados amotinados anunciaram o golpe na televisão nacional poucos momentos depois de a comissão eleitoral do país ter declarado que Bongo tinha ganho um terceiro mandato nas eleições gerais de sábado.

Os oficiais disseram que os resultados eleitorais foram invalidados, todas as instituições estatais dissolvidas e todas as fronteiras fechadas até novo aviso.

“Decidimos defender a paz pondo fim ao regime atual”, disse um dos oficiais.

A princípio não ficou claro quem liderou a tentativa de golpe. No entanto, um vídeo transmitido pela televisão estatal mostrou um homem fardado a ser carregado por soldados a gritar "Presidente Oligui", uma referência a Brice Oligui Nguema, chefe da Guarda Republicana do Gabão.

Mais tarde, Bongo apareceu em um vídeo pedindo aos "amigos do Gabão" que "fizessem barulho" para apoiá-lo. O presidente de 64 anos, sentado em uma cadeira, disse que estava em sua residência e que sua esposa e filho estavam em outro lugar.

Mas as multidões que se aglomeraram nas ruas da capital, Libreville, celebraram a notícia da destituição do presidente, com vários manifestantes a dizerem que estavam contentes pela família Bongo estar fora do poder.

Fontes