Mesa Diretora do Senado quer reformar plenário e aprova o funcionamento de escritórios de parlamentares em estados

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

20 de agosto de 2009

Brasília, Distrito Federal, Brasil


Depois de arquivar todos os processos por quebra de decoro contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e de ter mergulhado numa crise que dura seis meses, a Mesa Diretora quer reformar o plenário. O assunto foi discutido em reunião hoje (20). Segundo os senadores, a estrutura física do Senado enfrenta problemas como furos nos dutos do ar-condicionado, placas que correm o risco de cair e fiação elétrica exposta.

A previsão dos custos da obra não foi feita ainda, e o assunto passará pelo crivo dos outros senadores antes de ser colocado em prática.

“Nós somos povo igualzinho a vocês”, disse o terceiro secretário da Casa, Mão Santa (PMDB-PI). “Mas vamos ver o que é de urgência ou emergência antes da obra”, completou acrescentando que não sabe quanto a reforma irá custar.

A segunda vice-presidente da Mesa Diretora da Casa, Serys Slhessarenko (PT-MT), minimizou o assunto. Disse apenas que foi mostrado um vídeo aos integrantes da Mesa mostrando as condições do plenário. “A reação foi que se proceda um estudo para ver se é essencial. Não é reforma de enfeitar, mas de reconstruir.”

A Mesa Diretora do Senado aprovou ato regulamentando as atividades dos escritórios de apoio dos parlamentares nos estados. Pela nova regra, somente funcionários comissionados dos gabinetes poderão ser contratados para trabalhar nos estados e não mais da Mesa Diretora, terceirizados ou servidores do quadro efetivo da Casa.

O escritório de apoio deverá ser mantido com a verba indenizatória e não haverá pagamento de recursos extras para tal. As atividades deverão se restringir a assuntos ligados ao exercício parlamentar do senador.

O escritório deverá ainda ficar no estado do parlamentar, não podendo manter bases de apoio em outros estados, mas poderá ficar em mais de uma cidade, se ficar comprovado que há a necessidade.

Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati