Meio milhão de crianças ucranianas fogem da invasão russa

7 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Crianças vulneráveis ​​constituem uma grande proporção dos mais de 1 milhão de ucranianos que fugiram da invasão russa de seu país e do pesado bombardeio de áreas residenciais, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância.

Meio milhão de crianças, algumas desacompanhadas, cruzaram a fronteira para a Polônia e outros países vizinhos, segundo a UNICEF, que afirma que menores refugiados correm alto risco de sofrer violência, abuso e exploração.

No geral, o êxodo de ucranianos está produzindo o que muitos temem ser a maior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Em um comunicado, Filippo Grandi, alto comissário da ONU para Refugiados, disse: “Trabalho em emergências de refugiados há quase 40 anos e raramente vi um êxodo tão rápido quanto este”. Para comparação, o ACNUR informou que levou mais de três meses para que 1 milhão de refugiados deixassem a Síria em 2013.

Grandi acrescentou que “a solidariedade internacional tem sido emocionante. Mas nada – nada – pode substituir a necessidade de silenciar as armas; para o sucesso do diálogo e da diplomacia. A paz é a única maneira de deter esta tragédia.”

A ONU está pedindo às nações que recebem refugiados ucranianos que identifiquem e registrem crianças desacompanhadas para ajudar a se proteger contra sequestros e exploração.

A maioria dos refugiados ucranianos fugiu para a Polônia, Hungria, Romênia, Moldávia e Eslováquia.

Muitos têm que viajar longas distâncias sob condições de risco de vida dentro de seu país para chegar à fronteira. Um vídeo dramático filmado na quarta-feira mostrou multidões de pessoas em uma plataforma em Kharkiv desesperadas para embarcar em um trem para Uzhgorod, um município ucraniano na fronteira com a Eslováquia.

De acordo com o embaixador da Polônia na ONU, Krzysztof Szczerski, um “grande número” daqueles que atravessam a Polônia são crianças desacompanhadas. Muitos pais ucranianos ficaram para trás, especialmente pais que estão sob ordens do governo para permanecer na Ucrânia para se defender contra a invasão da Rússia.

Fontes