Medalha tardia: tribunal decide que brasileiro deve ficar com ouro olímpico

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

8 de abril de 2005

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Assim que o Comitê Olímpico Internacional (COI) oficializar a decisão, o brasileiro Rodrigo Pessoa terá a medalha de prata que recebeu nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004, trocada pela medalha de ouro. O cavaleiro da Irlanda Cian O’Connor foi punido pelo da Tribunal da Federação Eqüestre Internacional (FEI) que o acusou de usar um cavalo dopado. O’Connor disse nesta quinta-feira que não pretende recorrer da decisão do tribunal.

O cavaleiro irlandês Cian O’Connor recebeu a medalha de ouro pela prova de saltos durante os Jogos Olímpicos realizados na cidade de Atenas, na Grécia, em 2004. O cavaleiro brasileiro, Rodrigo Pessoa, ficou em segundo lugar na classificação e recebeu a medalha de prata.

Mais tarde, verificou-se que o cavalo do irlandês não passou no exame antidoping. O FEI resolveu então desqualificá-lo, mas permitiu que o irlandês recorresse da decisão e se defendesse.

Uma vez confirmada a decisão do FEI, O Brasil ficará com 5 medalhas de ouro, 2 de prata e 3 de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004, e subirá da posição de 18° para 16°.

Apesar da decisão não favorável para o irlandês, o tribunal reconhece que ele não agiu de má fé.

Fontes