Marina Silva defende fim do foro privilegiado a políticos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência VOA

Pré-candidata presidencial fala à VOA sobre o caso Lula da Silva

29 de janeiro de 2018

A ex-ministra e ex-senadora, Marina Silva, pré-candidata à Presidência da República pelo partido Rede Sustentabilidade defende o fim do foro privilegiado no Brasil para que todos os envolvidos em corrupção no país possam responder pelos seus crimes.

A parlamentar está percorrendo o país para discutir com empreendedores, empresários e lideranças o desenvolvimento sustentável. Em conversa com a VOA, ela comentou a situação política no país e a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“É um momento delicado na política do nosso país. Pela primeira vez, um ex-Presidente da República está sendo condenado e obviamente é uma decisão da justiça. É um momento em que todos nós devemos ter em mente que para que esse projeto de investigações iniciado com a Operação Lava Jato seja aprofundado que se acabe com o foro privilegiado. Todos aqueles que igualmente estão sendo investigados por casos graves de corrupção não tenham seus processos protelados em função do foro privilegiado”, disse Silva.

A pré-candidata defende a política sem amarras e com boas propostas para retirar o Brasil da crise. “Acho que as eleições devem ser pensadas independentemente de condenação ou não. Acho que os partidos políticos que lançam suas candidaturas não devem lançá-las atreladas a qualquer decisão da justiça ou por causa de determinado adversário. Quem tem propostas e ideias lança candidatura porque quer contribuir para melhorar o Brasil. Vivemos uma situação difícil provocada nos últimos anos pelas gestões do PT e PMDB. Mas ainda é muito cedo para fazer um diagnóstico e quem fará isso é a própria sociedade que ainda está observando como fazer para tirar o país dessa crise”, ressaltou.

A candidata presidencial derrotada em 2014 conclui afirmando que os brasileiros estão cientes do que ocorre no país e qualquer político investigado ou condenado por corrupção está a ser avaliado pelo povo.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati