Manifestantes pró-Dilma Rousseff protestam contra o Governo Temer em Brasília e São Paulo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

15 de maio de 2016

Cerca de 200 manifestantes contrários ao impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff fizeram na manhã deste domingo (15) um protesto contra o presidente interino Michel Temer em frente ao Palácio do Planalto. Também há manifestantes fizeram na tarde de hoje uma caminhada pela Rua da Consolação, em São Paulo, contra o presidente interino.

No protesto de Brasília, que teve seu auge por volta das 11h da manhã. pessoas ligadas à Central Única dos Trabalhadores, à União Nacional dos Estudantes (UNE) e artistas locais gritaram palavras de ordem como “Fora Temer” e músicas como “Ai, ai , ai , ai , empurra o Temer que ele cai”. Eles também protestaram contra o fim do Ministério da Cultura e interditaram por cerca de 20 minutos uma via em frente à Praça dos Três Poderes. A via foi desobstruída pela Polícia Militar que não registrou nenhum incidente durante o ato.

No protesto de São Paulo, eles se reuniram na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, por volta das 14h e, as 15h20, saíram em caminhada até a Praça Roosevelt, no centro da capital paulista, onde chegaram por volta das 17h. A Polícia Militar não informou, até a publicação da matéria, o número de manifestantes. Os organizadores, no entanto, estimaram a presença de 10 mil pessoas. O ato, até as 17h20, transcorreu de forma pacífica. Depois de se reunirem na Praça Roosevelt em assembleia, eles decidiram voltar para a Avenida Paulista, em caminhada, e encerrar o ato no Vão-livre do Museu de Arte de São Paulo.

“O ato hoje é em repúdio à entrada de Michel Temer porque achamos que o governo de Dilma Rousseff era um governo legítimo, que entrou pelo voto direto. Achamos que o processo de impeachment tem inúmeras ilegalidades. O Michel Temer deveria estar inelegível por oito anos. Ele é um político ficha-suja”, disse Luiz Dantas, organizador do ato e membro do Coletivo Frente pela Democracia.

O protesto também teve apoio dos movimentos União Brasileira das Mulheres e da Marcha Mundial das Mulheres, que lideraram a caminhada. Durante o trajeto, os manifestantes gritaram “Fora Temer”, e “Não tem arrego” e palavras de apoio a Dilma. Muitos deles seguravam faixas de Fora Temer. Alguns políticos participaram da marcha, como o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP).

Equipe ministerial

Além de protestar contra o processo de impeachment, que afastou a presidenta Dilma Rousseff por até 180 dias, Dantas disse que o ato também protesta contra a falta de mulheres e de negros no atual ministério – anunciado por Temer na semana passada. “Não vemos negros, não vemos mulheres e isso é um retrocesso”, falou ele à reportagem da Agência Brasil.

Eles também protestam contra a extinção de alguns ministérios por Temer. “Michel Temer não foi eleito. Então, se a Dilma não volta por conta desse processo de impeachment, então que se tenha novas eleições e que o povo decida quem ele quer”, acrescentou Dantas.

Em um jogral, repetido por todos os manifestantes antes do início da caminhada, os manifestantes gritaram “Fora Temer” e disseram que não vão aceitar o que chamaram de eleições indiretas. “Não aceitaremos eleições indiretas feita pelos deputados e apoiada pelos senadores”, cantaram os manifestantes. “Eleições diretas. Poder ao povo. Fora Temer”, gritaram.

Redes sociais

Na convocação feita nos últimos dias pelas redes sociais, mais de 17 mil pessoas chegaram a confirmar presença no evento. A Polícia Militar chegou a fechar todo o Eixo Monumental, via de acesso ao Palácio do Planalto e ao Congresso Nacional, já nas primeiras horas da manhã, mas a via foi logo liberada. Ao deixarem a Praça dos Três Poderes, no início da tarde, os manifestantes disseram que haverá um novo protesto a partir das 15h, na altura da 102 Sul no Eixão. A via, uma das principais da capital federal, corta Brasília de norte a sul e é fechada aos domingos e feriados para lazer.

Temer em SP

Desde ontem (14), o presidente interino Michel Temer está na capital paulista sem compromissos oficiais e está em sua residência, no Alto de Pinheiros.

Hoje, por volta das 10h, ele deixou sua residência para um destino não informado e só voltou para sua casa por volta das 14h, sem falar com a imprensa. A previsão é que Temer permaneça em casa e volte para Brasília somente amanhã (16) cedo.

Até o fechamento desta reportagem, a Agência Brasil não conseguiu contato com a assessoria do Palácio do Planalto para comentar os protestos.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati