Malala integra três ativistas brasileiras da Rede Gulmakai

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

10 de julho de 2018

A iniciativa é do Fundo Malala, que patrocina homens e mulheres que incentivam ou promovem a educação de meninas em vários países.

A paquistanesa Malala Yousafzai, Prêmio Nobel da Paz, anunciou nesta terça-feira, 10, em comunicado que três brasileiras passarão a integrar a Rede Gulmakai, uma iniciativa do Fundo Malala, que patrocina homens e mulheres que incentivam ou promovem a educação de meninas em vários países.

As três brasileiras lideram iniciativas ligadas à promoção de minorias, meninas e educação: Sylvia Siqueira Campos (Estado de Pernambuco), Ana Paula Ferreira de Lima (Bahia) e Denise Carreira (São Paulo).

É a primeira vez que ativistas da América Latina são selecionados para o projeto, que já contempla outros seis países: Afeganistão, Líbano, Índia, Nigéria, Paquistão e Turquia.

A Rede Gulmakai foi batizada com uma inspiração antiga, por ser o pseudônimo que Malala usava quando tinha apenas 11 anos e escrevia um blogue em urdu para a BBC sobre os desafios que as garotas enfrentavam para conseguir estudar no Vale do Swat, sua terra natal no Paquistão.

Ontem, em São Paulo, no Brasil, Malala Yousafzai falou sobre a educação.

Para ela, a melhor forma de melhorar a educação em qualquer país é fazer parcerias com as ativistas locais.

“Vamos focar nas regiões que mais precisam, como o Nordeste do Brasil, mas também vamos apoiar outras campanhas”, disse ao prêmio Nobel da Paz para uma plateia formada por 800 convidados.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati