Mais de cem mil pessoas participam de centenário da execução da família real russa

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de julho de 2018

Ecaterimburgo, Rússia —

Segundo organizações policiais de segurança, cerca de cem mil pessoas participaram em Divina Liturgia e procissão em Ecaterimburgo em comemoração do centenário da execução da família Romanov.

A família Romanov, que reinava o Império Russo, foi destituída durante as revoluções de 1917 e fuzilada na madrugada de 17 de julho de 1918 por revolucionários comunistas. Em 1981, foram canonizados pela Igreja Ortodoxa Russa no Exterior; em 2000, pela própria Igreja Ortodoxa Russa; e em 2008, tiveram a memória reabilitada pelo Tribunal Supremo da Rússia. O Estado russo, contudo, preferiu não fazer manifestações públicas, enquanto a Igreja continuou sua tradição de procissões anuais, desta vez com um enorme público.

A celebração começou na madrugada, na Igreja de Todos os Santos, construída sobre as ruínas da Casa Ipatiev, onde cem anos antes foi executada a família imperial, e o Patriarca Cirilo de Moscou guiou os participantes por 21 quilômetros de procissão até o Mosteiro dos Santos Patóforos Reais, em Ganina Iama, onde os corpos dos nobres foram queimados. Em sua homilia, o Patriarca Cirilo pediu as orações da família real pela Rússia, o povo russo e a Igreja, contra quaisquer divisões, cismas, injustiças humanas e confusões, e em favor da Ortodoxia e da piedade.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati