Mais de cem mil pessoas participam de centenário da execução da família real russa

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de julho de 2018

Ecaterimburgo, Rússia —

Segundo organizações policiais de segurança, cerca de cem mil pessoas participaram em Divina Liturgia e procissão em Ecaterimburgo em comemoração do centenário da execução da família Romanov.

A família Romanov, que reinava o Império Russo, foi destituída durante as revoluções de 1917 e fuzilada na madrugada de 17 de julho de 1918 por revolucionários comunistas. Em 1981, foram canonizados pela Igreja Ortodoxa Russa no Exterior; em 2000, pela própria Igreja Ortodoxa Russa; e em 2008, tiveram a memória reabilitada pelo Tribunal Supremo da Rússia. O Estado russo, contudo, preferiu não fazer manifestações públicas, enquanto a Igreja continuou sua tradição de procissões anuais, desta vez com um enorme público.

A celebração começou na madrugada, na Igreja de Todos os Santos, construída sobre as ruínas da Casa Ipatiev, onde cem anos antes foi executada a família imperial, e o Patriarca Cirilo de Moscou guiou os participantes por 21 quilômetros de procissão até o Mosteiro dos Santos Patóforos Reais, em Ganina Iama, onde os corpos dos nobres foram queimados. Em sua homilia, o Patriarca Cirilo pediu as orações da família real pela Rússia, o povo russo e a Igreja, contra quaisquer divisões, cismas, injustiças humanas e confusões, e em favor da Ortodoxia e da piedade.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati