Míssil norte-coreano sobrevoou Japão e tinha alcance intermediário, dizem EUA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Soldado dos Estados Unidos

Agência Brasil

15 de Setembro de 2017

O Comando do Pacífico dos Estados Unidos confirmou que a Coreia do Norte lançou nesta sexta (no horário de Pyongyang, quinta-feira, 15, no horário de Brasília) um míssil de alcance intermediário que sobrevoou o norte do país do Japão, mas que não representou uma ameaça para o território norte-americano.

"A avaliação inicial aponta para o lançamento de um míssil balístico de alcance intermediário", disse o diretor de operações do Pacom, comandante Dave Benham, em comunicado. "O míssil balístico sobrevoou o norte do território do Japão antes de cair no Oceano Pacífico", disse Benham, explicando que o lançamento ocorreu perto de Pyongyang, capital do país norte coreano.

O míssil não representou ameaça para os Estados Unidos nem para a ilha de Guam, um território americano no Pacífico, disse o comandante. O Pacom ainda trabalha em uma "avaliação mais detalhada" sobre o última ameaça norte-coreana.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi informado do lançamento norte-coreano pelo chefe do gabinete, John Kelly, disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

Antes do teste nuclear, Donald Trump confirmou, a bordo do Air Force One, que viajará em novembro para os países da China, Coreia do Sul e Japão. O presidente republicano não quis falar sobre sua estratégia para lidar com a Coreia do Norte, mas garantiu que os americanos ficarão seguros apesar das ameaças do regime norte coreano liderado por Kim Jong-un.

Este foi o primeiro lançamento de um míssil pela Coreia do Norte desde o final do mês passado - quando outro míssil também sobrevoou o norte do Japão - e o primeiro teste armamentístico desde que o regime de Kim Jong-un executou seu sexto e até agora mais forte teste nuclear, no último dia 3.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati