Míssil norte-coreano sobrevoou Japão e tinha alcance intermediário, dizem EUA

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Soldado dos Estados Unidos

Agência Brasil

15 de Setembro de 2017

O Comando do Pacífico dos Estados Unidos confirmou que a Coreia do Norte lançou nesta sexta (no horário de Pyongyang, quinta-feira, 15, no horário de Brasília) um míssil de alcance intermediário que sobrevoou o norte do país do Japão, mas que não representou uma ameaça para o território norte-americano.

"A avaliação inicial aponta para o lançamento de um míssil balístico de alcance intermediário", disse o diretor de operações do Pacom, comandante Dave Benham, em comunicado. "O míssil balístico sobrevoou o norte do território do Japão antes de cair no Oceano Pacífico", disse Benham, explicando que o lançamento ocorreu perto de Pyongyang, capital do país norte coreano.

O míssil não representou ameaça para os Estados Unidos nem para a ilha de Guam, um território americano no Pacífico, disse o comandante. O Pacom ainda trabalha em uma "avaliação mais detalhada" sobre o última ameaça norte-coreana.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi informado do lançamento norte-coreano pelo chefe do gabinete, John Kelly, disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

Antes do teste nuclear, Donald Trump confirmou, a bordo do Air Force One, que viajará em novembro para os países da China, Coreia do Sul e Japão. O presidente republicano não quis falar sobre sua estratégia para lidar com a Coreia do Norte, mas garantiu que os americanos ficarão seguros apesar das ameaças do regime norte coreano liderado por Kim Jong-un.

Este foi o primeiro lançamento de um míssil pela Coreia do Norte desde o final do mês passado - quando outro míssil também sobrevoou o norte do Japão - e o primeiro teste armamentístico desde que o regime de Kim Jong-un executou seu sexto e até agora mais forte teste nuclear, no último dia 3.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati