Lula estuda resposta às ações de Evo Morales

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de maio de 2006

Brasil —

O presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva, justificou as ações de Evo Morales na Bolívia como sendo parte da estratégia do partido governista para as eleições marcadas para 2 de julho da Assembléia Constituinte boliviana. Pressionado por outros políticos para defender os interesses da estatal brasileira Petrobrás, Lula estuda uma resposta.

Segundo o jornalista Clóvis Rossi, Lula acredita que somente uma ameaça será suficiente para trazer bons resultados às negociações e que uma das ações poderia ser a suspensão total da importação de gás da Bolívia - o que afetaria negativamente a economia boliviana, já que a Petrobras é responsável por cerca de 18% do PIB daquele país. Contudo, o Brasil ainda é consideravelmente dependente do gás boliviano, principalmente no que diz respeito a indústria paulista.

O governo brasileiro, apesar da possibilidade de "blefar" com Morales, vai provavelmente evitar ao máximo tomar qualquer ação que possa prejudicar os resultados do PT nas eleições brasileiras de 2006.

Notícias Relacionadas

Fontes