Justiça francesa proíbe protesto considerado islamofóbico

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de janeiro de 2015

França

A Justiça da França proibiu hoje (17) a realização neste domingo (19), em Paris, de uma manifestação para pedir a expulsão de todos os islamitas da França. Segundo a deliberação judicial, que confirmou uma decisão da polícia local, o protesto mostra uma “lógica islamofóbica”.

A manifestação foi convocada pelos movimentos Resistência Republicana e Resposta Laica, sob o slogan “Desequilibrados, assassinos, loucos... islamitas fora da França”. A polícia francesa já tinha proibido o protesto, uma vez que “a manifestação agendada não se destinava a apelar à condenação dos recentes atos terroristas, ocorridos em Paris na semana passada, mas tinha claramente uma lógica islamofóbica”.

De acordo com o documento judicial, ao qual a agência francesa AFP teve acesso, o tribunal temeu que a manifestação pudesse degenerar em confrontos, no momento em que as forças policiais estão mobilizadas na prevenção de eventuais novos ataques terroristas. Os organizadores do protesto não vão recorrer da decisão judicial, segundo indicaram os advogados dos movimentos.

Em março de 2014, esses grupos organizaram, em colaboração com um movimento de extrema-direita, uma manifestação que denunciava a “islamificação” da França e que reclamava um referendo contra a imigração. Esse protesto conseguiu reunir centenas de pessoas na capital francesa. Manifestações xenófobas e contra a imigração têm ocorrido desde outubro último em Dresden, no Leste da Alemanha. Os protestos são organizados pelo movimento alemão Pegida, sigla de “Patriotas Europeus contra a Islamização do Ocidente”.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati