Jurados dizem que Michael Jackson é inocente

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

14 de junho de 2005

Após dez dias de deliberações, o júri declarou inocente a cantor Michael Jackson. O artista tinha contra si dez acusações de abuso sexual de menores de idade.

Jackson, de 46 anos, assistiu à leitura do veredito em companhia de seus pais e de suas irmãs Janet e a Toya Jackson. Absteve-se de dar declarações e abandonou a corte de Santa María depois que ouviu o veredito dado pelo juiz: "A fiança foi exonerada, pode ir". Antes, o artista se encontrava em liberade sob uma fiança de US$3 milhões. O promotor de distrito de Santa Bárbara, Tom Sneddon, declarou que acatará a decisão: "Em 37 anos, nunca discordei do veredito de nenhum júri".

Centenas de fãs do cantor receberam com júbilo a notícia da absolvição de seu ídolo.

O julgamento de Michael Jackson começou em fevereiro. Foram ouvidos os testemunhos de mais de cem testemunhas, incluindo a mãe de Gavin Arvizo, 15 anos de idade, de quem Jackson teria supostamente abusado dois anos atrás. Também testemunharam o ator Mcaulay Culkin e o apresentador de televisão Larry King.

Ao que parece, o júri não acreditou nas declarações da mãe de Arvizo, a quem a defesa, encabeçada por Thomas Mesereau, qualificava de "mentirosa compulsiva". Durante seu depoimento, Janet Arvizo afirmou que no rancho do artista, os meninos ingressavam num mundo proibido. Aprendiam sobre sexualidade da mão de alguém que estava demasiado disposto a ser seu professor. Arvizo também disse que Jackson mantinhas os garotos presos no seu rancho Neverland e em hotéis de Miami e da California.

As acusações

As acusações contra Michael Jackson foram as seguintes:

  • Uma acusação por conspiração para extorsão e seqüestro de um menor.
  • Quatro acusações por atos de lascívia em um menino menor de 14 anos.
  • Uma acusação por tentar praticar atos libidinosos contra um menino menor de 14 anos.
  • Quatro acusações por fornecer bebidas de álcool com o intuito de facilitar os abusos.

Michael Jackson foi declarado inocente de todas essas acusações.

Antecedentes

Em 1993, Jackson foi acusado de abusar de outro menor, de 13 anos de idade. No ano seguinte, o cantor chegou a um acordo por US$23 milhões com a família do menino.

Em fevereiro de 2003, o artista revelou que dormia com meninos e que enfrentava graves problemas financeiros, num documentário chamado Living with Michael Jackson, do jornalista britânico Martin Bashir, no qual aparece de mãos dadas com um jovem. Meses depois, este jovem o acusaria formalmente.

Fontes