Juíza ouve cinco últimas testemunhas de defesa do mensalão em São Paulo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

5 de junho de 2009

São Paulo, SP, Brasil

A juíza Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara Federal Criminal, está ouvindo hoje (5) as cinco últimas testemunhas de defesa de São Paulo no processo do mensalão, um suposto esquema de pagamento de propina a parlamentares para aprovação de projetos de interesse do governo no Congresso Nacional. O processo tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

Nas duas últimas semanas, foram ouvidas cerca de 60 pessoas. A previsão inicial da Justiça Federal era de que mais de 90 testemunhas de defesa prestassem depoimento nesse período. Foram ouvidos como testemunhas o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, entre outros.

Hoje testemunhou o deputado estadual Campos Machado, chamado pela defesa do réu Emerson Eloy Palmieri, acusado dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Também estão depondo Eliseo Santiago Eris Fernandez e Maurício Ceschin, testemunhas da ex-vice presidente operacional do Banco Rural Ayanna Tenório, acusada de gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

O publicitário Luiz Lara depôs como testemunha de defesa do também publicitário Duda Mendonça, acusado de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, e do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, acusado de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. E Augusto Rocha Coelho foi ouvido como testemunha de Simone Reis Lobo de Vasconcelos, acusada de lavagem de dinheiro, corrupção ativa, formação de quadrilha e evasão de divisas.

Já a defesa do réu Cristiano Mello Paz, que era sócio do empresário Marcos Valério na empresa SMP&B, desistiu de ouvir a testemunha Maria Beatriz Azevedo Bahia.

Fonte