Jornal de Miami fala em "conspiração comunista no Continente"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Em 2005, Lula discursa durante celebração dos 15 anos do Foro de São Paulo (Foto Ricardo Stuckert/PR).

31 de outubro de 2007

Em seu editorial datado de 08 de agosto de 2007, o jornal Diario de Las Americas, sediado em Miami nos EUA e que publica notícias em espanhol, alerta para o que pode ser uma conspiração comunista para a tomada de poder no continente latino-americano.

Segundo o jornal, O nome Foro de São Paulo identifica uma grande conspiração comunista contra países Ibero-Americanos e Caribe desde julho de 1990, quando sindicatos e organizações comunistas de todo o hemisfério se reuniram pela primeira vez nessa cidade brasileira. Desde essa data, o Foro de São Paulo tem realizado encontros periodicamente ou congressos em diferentes países da Amércia Central e do Sul e México.

O jornal disse que o Foro de São Paulo (FSP) recebe apoio de governos da região os quais são eles próprios conseqüências dessa "muito perigosa organização".

O jornal alega que o FSP é responsável pelo crescimento da influência de Hugo Chávez na Venezuela.

O Foro de São Paulo foi fundado pelo atual Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e por Fidel Castro. Durante algumas reuniões do FSP estiveram presentes organizações militarizadas e criminosas como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - principal fornecedora de drogas e armas no continente sul-americano, segundo as autoridades policiais.

O Partido dos Trabalhadores, partido governista de Lula, e que ajudou a fundar o FSP rechaça veementemente que o FSP seja uma conspiração para a tomada de poder no continente. Segundo militantes do partido, tal idéia é oriunda de "teorias conspiratórias" para prejudicar politicamente a legenda.

A maior parte da informação sobre o FSP está na internet, principalmente em blogs, websites de partidos de esquerda e extrema-esquerda. O jornalista brasileiro Olavo de Carvalho reúne em seu website [1] extensa informação e critica veementemente a organização, compartilhando da opinião do jornal de que a organização planeja fazer renascer o antigo comunismo da Cortina de Ferro, no continente latino-americano.

Apesar de brasileiros terem ajudado a fundar a organização, ela é desconhecida da maior parte do público, tendo em vista que os jornais brasileiros dificilmente mencionam as atividades do Foro e sua conotação política.


Fontes