Joe Biden regista queda nas sondagens mas continua no comando

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Político eleito à presidente; Joe Biden.

11 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

A pouco menos de três meses das eleições gerais americanas o candidato à presidência do partido Democrata, o ex vice-presidente Joe Biden, continua a comandar o apoio dos americanos, indicam as sondagens ao eleitorado.

Contudo essas sondagens indicam haver uma queda nesse apoio, algo que analistas dizem se deve intensificar à medidas que as eleições de 3 de Novembro se aproximam.

A nivel global de todo o país a média das sondagens dá a Biden uma vantagem muito confortável de 6,9%.

Mas preocupante para os Democratas que acompanham o desenrolar da campanha é que isso é uma queda de três por cento desde 24 de Julho, confirmando aquilo que vários analistas vinham afirmando, nomeadamente que a luta se vai tornar mais renhida à medida que se aproxima o dia das eleições.

Biden continua também a ter vantagem nos estados considerados vitais para a maioria no colégio eleitoral como Wisconsin, Carolina do Norte, Flórida, Pensilvânia e Arizona.

As sondanges indicam ainda que o partido Democrata poderá ganhar controlo do Senado dando-lhe a hipótese de controlar assim as duas câmaras legislativas e a presidência.

A pouco menos de três meses das eleições os Democratas querem que essas sondagens não se alterem. Mas quase três meses em politica pode ser muito tempo e tudo pode mudar.

O presidente Trump deverá nas próximas semanas fazer uso dos disturbios registados em cidades americanas culpando os democratas por isso. No fim de semana registou se violência numa zona nobre de Chicago com pilhagens e confrontos com a pol’icia enquanto em Portland se registaram também conforntos com manifestanes que pretendiam incendiar a sede do sindicao dos polícias

Trump numa conferência deimprensa fez notar que muitos Democratas têm apoiado manifestantes que exigem o fim do financimaneto a departamentos da polícia.

“Na menor das hipóteses vão impedir que fundos sejam entregues aos departamentos da polícia mas em muitos casos querem na verdade retirar completamente todos os fundos aos departamentos da políicia”, disse o presidente para que nesse caso “nennhuma cidade e nenhum subúrbio estariam seguros, seriam um desastre”.

“Eles querem que cada cidade seja uma Portland que seja como Chicago e tudo que é é um incompetência administrativa horrível por políticos que não sabem o que estão a fazer”, acrescentou.

Até agora o candidato Democrata poucas comparênciastem feito em público ou em entrevistas a jornalistas algo que se atribui a uma decisão de querer evitar-se que Biden – conhecido ao longo da sua carreira de cometer “gaffes” – faça comentários que lhe possam causar dissabores cono aconteceu na semana passada quando o ex vice-presidente disse que “ao contrário da comundiade africano-americana a comunidade latina é muito diversa”. Isso levou a acusações de que Biden considera os negros americanos como todos iguais pensado da mesma maneira

Por outro lado há acusaõoes por parte dos republicanos de constantes indecisões por parte de Biden reflectindo-se isso no seu atraso na escolha de uma candidata à vice-presidencia.

Hillary Clinton que foi derrotada por Donald Trump na últimas eleições disse a este respeito à cadeia de televisão MSNBC que as pessas têm que comprreender que ‘e preicso fazer uma ecolha acertada porque s e trata de “uma eleição critica”.

Clinton disse que o vicce presidente “tem boas escolhas” à sua frente “mas penso que as pessoas têm que compreender que estamos em luta contra uma pessoa que quer ser um autoritário, que já magoou os interesses do nosso paíss, as nossas instituições, o primado da lei”.

“Temos que derrotar Donald Trump e temos que fazer todo o possível para isso acontecer”, acrescentou.

Isso poderá ou não acontecer no próximo dia 3 de Novembro e até lá é de prever uma luta renhida com os debates presidenciais a advinharem-se como algo a não perder

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com