J.K. Rowling devolve prêmio após ser criticada por, supostamente, defender direitos das mulheres

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

31 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A escritora britânica J.K. Rowling, autora dos livros da saga Harry Potter, devolveu o prêmio Ripple of Hope, da Fundação Robert F. Kennedy de Direitos Humanos. Ela havia recebido o prêmio em 2019 por "compromissos com mudanças sociais" devido a seu trabalho com uma instituição de caridade para crianças, mas anunciou sua devolução na sexta-feira passada por ter sido criticada por Kerry Kennedy, filha de Robert e presidente da fundação, por suas recentes posições sobre as mulheres trans.

"Nenhum prêmio ou homenagem, não importa minha admiração pela pessoa que o concebeu, significa tanto pra mim a ponto de eu renunciar ao direito de seguir as regras de minha própria consciência", justificou a escritora, que diz defender os direitos das mulheres.

Entenda a polêmica

No início de junho passado, Rowling causou uma grande polêmica ao fazer postagens sobre um texto que falava sobre "pessoas que menstruam". Ela usou seu Twitter para escrever sobre o texto: "Pessoas que menstruam. Eu tenho certeza que costumava existir uma palavra para essas pessoas. Alguém me ajude. Wumben? Wimpund? Woomud? [wumben, wimpund e Woomud são termos que significam "mulheres"]. Se o sexo não é real, a realidade vivida das mulheres em todo o mundo é apagada. Conheço e amo as pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo tira a capacidade de muitos discutirem significativamente suas vidas."

Após as postagens, ela foi acusada de transfobia, o que ela nega, dizendo que sempre defendeu as pessoas trans.

Esta não é a primeira polêmica na qual a escritora se envolve.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit