Saltar para o conteúdo

Israel pede que países deixem de fornecer ajuda humanitária para agência da ONU

Fonte: Wikinotícias

27 de janeiro de 2024

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, pediu que a agência da ONU que provê assistência humanitária aos refugiados palestinos deixasse de receber fundos após acusar membros do órgão de envolvimento nos ataques do Hamas em 7 de outubro.

Numa publicação nas redes sociais, Katz apelou aos países para seguirem o exemplo dos Estados Unidos, Austrália, Canadá, Reino Unido, Itália e Finlândia que suspenderem o financiamento da Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras (UNRWA- United Nations Relief and Works Agency for Palestine Refugees in the Near East).

O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido disse no sábado que estava suspendendo temporariamente o financiamento para a UNRWA enquanto as acusações eram analisadas.

Os Estados Unidos, a Austrália e o Canadá já tinham suspendido o financiamento à agência humanitária.

Criada para ajudar os refugiados da guerra de 1948, a UNRWA fornece educação, saúde e serviços de ajuda aos palestinos em Gaza, na Cisjordânia, na Jordânia, na Síria e no Líbano. Ajuda cerca de dois terços dos 2,3 milhões de habitantes de Gaza e tem desempenhado um papel de ajuda crucial durante a guerra atual.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros palestino criticou o que descreveu como uma campanha israelita contra a UNRWA e o grupo militante Hamas condenou a rescisão de contratos de trabalho "com base em informações provenientes do inimigo sionista".

“Apelamos aos países que anunciaram a cessação do seu apoio à UNRWA para que revertam imediatamente a sua decisão, o que implica grandes riscos de ajuda política e humanitária, como acontece neste momento específico e à luz da contínua agressão contra o povo palestino”, disse Hussein al-Sheikh, secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina, em uma postagem no X, antigo Twitter, no sábado.

Fontes[editar | editar código-fonte]