Indígenas mantêm um refém no Maranhão para cobrar acesso à energia elétrica

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Agência Brasil

23 de setembro de 2009

Amarante do Maranhão, Maranhão, Brasil

Um motorista da Companhia Energética do Maranhão (Cemar) está refém de índios da etnia Guajajara, no município de Amarante do Maranhão, a 647 quilômetros (km) de São Luís. Os indígenas pedem que o Programa Luz para Todos chegue a 16 aldeias da região. Eles ameaçam atear fogo em torres de transmissão de energia elétrica e já interditaram uma estrada.

No final do mês de julho, três funcionários da Secretaria de Estadual de Educação (Seduc) e uma técnica da Fundação Nacional do Índio (Funai) foram feitos reféns na Aldeia Indígena Presídio Zutiua, onde também vivem representantes da etnia Guajajara, a 72 km do município de Arame (MA). A ação foi uma forma de cobrar melhorias na educação indígena e mais escolas para a comunidade.

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati