Ibama vai aplicar multa na empresa que importou contêineres com lixo

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

19 de julho de 2009

Brasil


A multa a ser paga pela importadora e transportadora dos 25 contêineres repletos de lixo doméstico encontrados em Santos na última sexta-feira (17) deve ser definida amanhã (20). A informação é da chefe do regional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ingrid Oberg.

O nome da importadora que atuou no Brasil não foi divulgado, porque o Ibama ainda investiga o caso. Como a empresa no Reino Unido que vendeu o lixo para a importadora brasileira não tem representação oficial no país, o Ibama não pode multá-la. "A primeira multa foi fixada em R$ 155 mil. A segunda deve ser fixada amanhã", disse.

Segundo Ingrid, a carga de lixo doméstico que veio do Reino Unido "não tem lógica alguma". "Exportar lixo doméstico é proibido pela Convenção de Basiléia", afirmou.

A chefe do Ibama contou que as investigações estão a cargo da Polícia Federal e que a regional de São Paulo já encaminhou todos os trâmites burocráticos necessários para Brasília. "Eles estão tratando com os ministérios do Meio Ambiente e das Relações Exteriores para repatriar o lixo", completou.

De acordo com ela, que viu os contêineres de perto no porto de Santos, a carga já cheira mal e é difícil precisar o que há nela. "Não queremos abrir o lixo para não poluir a área alfandegária", disse. Ingrid afirmou também que a suspeita é que os contêineres estejam abandonados no porto de Santos desde novembro do ano passado.

Procurada pela neste domingo (19), a Polícia Federal informou que o caso está em fase investigatória e não há novas informações sobre o lixo encontrado em Santos.

A agência BBC Brasil infomou ontem (18) que a Agência Ambiental do Reino Unido está investigando o caso e as empresas responsáveis pela exportação de lixo para o Brasil podem ser processados, multados e até punidos com prisão.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati