Saltar para o conteúdo

Hospital Al-Amal e Cruz Vermelha de Khan Yunis encerram atividades

Fonte: Wikinotícias

27 de março de 2024

Email Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A Cruz Vermelha anunciou ontem que fechou sua sede em Khan Yunis, na Faixa de Gaza. Por questões religiosas, a Cruz Vermelha é chamada Crescente Vermelho nos países muçulmanos.

Além do fechamento da instituição, o Hospital Al-Amal também encerrou as atividades, após o que a organização humanitária chamou de "40 dias de hostilidades". "Chamamos às partes para que cumpram suas obrigações de acordo com Lei Humanitária Internacional, garantindo proteção a civis, trabalhadores da saúde e a entrega de materiais necessários aos pacientes", diz o anúncio no Facebook.

"Milhares de vidas ficarão" em risco, comunicou a organização, lembrando que no norte da Faixa quase tudo já foi destruído.

A Sociedade do Crescente Vermelho Palestino, braço local da Cruz Vermelha Internacional, disse que 15 de seus funcionários foram mortos no conflito Israel-Hamas e que 13 foram presos pela Forças Armadas de Israel.

Fontes[editar | editar código-fonte]