Hackers atacam sites do Governo do Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

23 de junho de 2011

Brasília, Distrito Federal, Brasil

Na tentativa de invasão de hackers aos sites da Presidência da República, do Portal Brasil e da Receita Federal, na madrugada de ontem (22), foram registrados cerca de 2 bilhões de acessos em um horário em que, normalmente, eles são “praticamente nulos”, disse o diretor superintendente do Serviço de Processamento de Dados (Serpro), Gilberto Paganotto. Segundo ele, esta foi a terceira grande tentativa de invasão este ano, uma a menos que em todo ano passado, mas a maior em volume de acessos.

De acordo com Paganotto, o “impressionante volume de acessos conseguido em tão pouco tempo” levou o Serpro a retirar os sites da Presidência da República e do Portal Brasil do ar entre a 0h40 a 1h40. O da Receita Federal, segundo o diretor do Serpro, permaneceu na rede. No entanto, funcionou com lentidão, causando a impressão de estar inacessível. No auge do ataque, foram verificados 300 mil acessos ao mesmo tempo, o mesmo número de declarações de Imposto de Renda que, segundo a Receita, chegou a ser enviado este ano no período de uma hora nos momentos de pico.

“Dois bilhões de acesso nesse curto período é um volume muito grande não suportável por qualquer provedor de sites na internet, mas sem dano nenhum a informações. São sistemas que, na gíria da informática, chamamos de robôs, colocados em provedores que ficam gerando os acessos”, explicou. O objetivo, segundo Paganoto, geralmente é fazer pichações em sites ou conseguir dados após os “tumultos de acesso”.

Paganotto disse ainda que as tentativas de invasão aos sites são frequentes, mas reforçou que o Serpro tem sistemas sofisticados e pessoas altamente treinadas acompanhando esse tipo de ataques durante 24 horas, todos os dias do ano. Segundo ele, para fazer os acessos foram usados provedores da Itália, mas podem ter outra origem. As questões legais do caso estão sendo tratadas pelo Gabinete de Segurança da Presidência da República e pela Polícia Federal.

Ministério do Esporte

A página do Ministério do Esporte sofreu hoje (23) ataque de hackers. Segundo a assessoria do órgão, o ataque foi periférico e não alterou o sistema central da página nem a parte de dados. Mesmo assim, o ministério optou por tirar o site do ar para uma varredura que até o início desta noite ainda não havia sido concluída. Só após essa varredura será possível fazer um diagnóstico mais detalhado do ataque.

Na madrugada de ontem (22) os portais da Presidência da República, do governo brasileiro e da Receita Federal também foram atacados e retirados do ar por hackers. Segundo o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), empresa pública que presta serviços de tecnologia da informação para os órgãos do governo, os ataques foram feitos com cerca de 2 bilhões de acessos às páginas.

Os hackers fazem acessos de computadores e provedores espalhados no mundo todo, provocando a queda da página ou a operação com lentidão. No site da Receita Federal, foram registrados cerca de 300 mil acessos simultâneos, volume que normalmente leva uma hora para ser registrado durante a entrega de declarações do Imposto de Renda.

Sobre os ataques de ontem, o diretor superintendente do Serpro, Gilberto Paganotto, afirmou que as tentativas de invasão aos sites são frequentes, mas reforçou que a empresa tem sistemas sofisticados e pessoas altamente treinadas acompanhando esse tipo de ataques durante 24 horas, todos os dias do ano.

Durante a tarde de hoje, a página do Senado Federal também ficou fora do ar por algumas horas, mas a reportagem da Agência Brasil não conseguiu contato com a Secretaria Especial de Informática da Casa para confirmar se a queda também foi provocada por hackers.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati