Guinness: brasileira conquista recorde de travessia de lago de lava

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

13 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A brasileira Karina Oliani conquistou em março passado o recorde do Guinness Book na modalidade “travessia de lago de lava”. Para alcançar o feito, Karina percorreu 100,58 metroS, presa por uma tirolesa, sobre o lago de lava vulcânica Erta Ale, em Afar, Etiópia, cuja temperatura chega a 1.187°C.

Ela, claro, vestia uma roupa especial durante o desafio, que havia sido completado em 2017.

"A gente sabia que eu tinha cerca de dois minutos antes de sofrer desidratação ou queimadura. Fiz em 90 segundos e em nenhum momento senti que o calor estava insuportável", disse ao Gshow em abril passado.

Vida de aventuras

Esta não é a primeira grande aventura de Karina, que também foi a mais jovem brasileira a escalar o Monte Everest, a primeira mulher sul-americana a escalar o Everest por seus dois lados e a primeira brasileira a escalar o K2, a segunda montanha mais alta do mundo.

"Desafios em meio à natureza sempre foram a minha paixão e por causa disso participei de inúmeras expedições no mar, em montanhas, em florestas e no deserto, incluindo escalar o Everest duas vezes", disse ela ao Guinness.

Na luta contra a covid-19

Médica especializada em medicina de emergência e resgate em áreas remotas, ela trabalhou no hospital de campanha do Anhembi, em São Paulo, entre abril e julho de 2020, quando o lugar foi fechado. O hospital havia sido montado especialmente para atender pacientes de covid-19.

Num depoimento para a Veja em agosto do ano passado, ela relatou que à época estava se recuperando de uma fratura numa perna. "Para quem fez medicina por vocação, a vontade de ajudar o outro está no DNA. Assim que pude pôr o pé no chão, ainda de muleta, fui dar plantão no hospital", afirmou.

Ela já havia trabalhado também no atendimento aos feridos após o terremoto do Nepal, em 2015, e atualmente trabalha num hospital do SUS.

Referências

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit