Guatemala emite terceiro mandado de prisão contra a ex-procuradora-geral Thelma Aldana

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Thelma Aldana Hernandez (cropped).jpg

24 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Ministério Público da Guatemala emitiu nesta segunda-feira um terceiro mandado de prisão contra a ex-procuradora-geral daquele país, Thelma Aldana, que goza de asilo político nos Estados Unidos.

Segundo o gabinete, liderado por Consuelo Porras, este novo despacho deve-se a um caso de “falsidade em declaração de bens” que está a ser investigado pela Procuradoria da República.

A ex-promotora Thelma Aldana fugiu da Guatemala em 2018 depois de concorrer à presidência. O judiciário vetou sua participação e ordenou um processo judicial contra ela que a obrigou a deixar o país e buscar asilo nos Estados Unidos. Pouco tempo depois, em 2019, foi expedida a primeira ordem contra o ex-procurador.

A segunda e a terceira foram neste ano por suposto crime de burla pela contratação supostamente irregular de um treinador na MP e pela “compra supervalorizada” de um imóvel enquanto esteve no cargo, entre 2014 e 2018.

Em publicação do meio local Prensa Libre detalha que a propriedade foi comprada a um preço inflacionado de 35 milhões de quetzales (aproximadamente 4,5 milhões de dólares).

O caso, chamado “Asunción Management”, segundo os promotores, incluiria outros ex-funcionários da justiça que deixaram o país devido a "fundados temores de danos à sua integridade pessoal" e que ainda estão protegidos nos Estados Unidos.

Entre eles está a ex-juíza Erika Aifán, que chegou a Washington DC em abril passado, também o ex-chefe da Promotoria Especial Contra a Impunidade (FECI) Juan Francisco Sandoval, que chegou em 2021, entre outros. Todos denunciaram perseguição por parte do atual promotor.

Fontes