Grupo somali executa quatro pessoas acusadas de espionagem

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de janeiro de 2015

Somália

Militantes da organização radical somali Al Shebab executaram quatro pessoas acusadas de fazer espionagem para os Estados Unidos, para a Etiópia e para o governo da Somália. As execuções por fuzilamento ocorreram ontem (terça-feira, 6) numa praça da cidade de Bardhere, localizada na região de Gedo, controlada pela Al Shebab, e ocorrem uma semana depois de os Estados Unidos anunciarem que mataram o líder dos serviços secretos dos extremistas, afiliados à Al Qaeda.

"Um dos espiões trabalhava para a CIA [agência de serviços secretos externos norte-americanos] e contribuiu para a morte de um comandante da Al Shebab", disse um juiz da cidade, antes de os homens serem mortos. De acordo com o juiz, outro homem executado estava ajudando as operações norte-americanas em Barawe, cidade portuária que costumava ser controlada pelos shebab mas que foi recuperada pelas forças somalis e pela União Africana no ano passado. Os outros dois trabalhavam para os serviços secretos etíopes e para agência de segurança da Somália, segundo o juiz. "Depois de ouvir as acusações contra os quatro indivíduos e as suas confissões, o tribunal islâmico condenou-os à morte", disse.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati