Gravações clandestinas não foram feitas no Senado do Brasil, diz polícia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

8 de setembro de 2008

Brasília, Distrito Federal, Brasil


Um relatário de mais de 20 páginas, entregue hoje pela Secretaria de Polícia do Senado ao presidente Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), afirma que os grampos telefônicos de autoridades, inclusive senadores, não foram feitos nas dependências do Senado. Na semana passada, os policiais legislativos realizaram vistorias na central telefônica e varreduras nos gabinetes dos parlamentares supostamente vítimas dos grampos.

O responsável pela varredura, o diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Araújo, afirmou que não há evidências do Senado ter sido alvo da escuta, após reunião com Garibaldi Alves Filho.


Não há qualquer sinal de violação da central telefônica nem foram colocadas escutas nos gabinetes dos parlamentares
Pedro Ricardo Araújo,
diretor da Polícia do Senado



Fontes