Governo marroquino demonstra interesse na produção de etanol

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

25 de junho de 2008

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A ministra da Energia, das Minas, da Água e do Meio Ambiente do Marrocos, Amina Benkhadra, demonstrou ontem (24), durante encontro com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, interesse do governo de seu país na produção de etanol, apesar de ser produtor de petróleo. Amina pediu a cooperação do Brasil, por meio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), para estudar que plantas seriam mais adequadas para a produção de etanol em Marrocos.

Na ocasião, Amorim convidou Amina para participar de uma conferência ministerial que o Brasil está organizando para novembro, em São Paulo, justamente para tratar do etanol brasileiro. O objetivo é esclarecer dúvidas da comunidade internacional sobre a viabilidade da produção brasileira desse biocombustível.

O chanceler aproveitou o encontro com a ministra na capital marroquina, Rabat, para explicar detalhes do programa brasileiro de etanol e a convidou para fazer uma visita ao do Brasil.

Amina Benkhadra demonstrou também interesse em firmar acordo de cooperação com a Petrobras para exploração de petróleo offshore (explorado em águas profundas, de onde vem cerca de 80% da produção brasileira) no Marrocos e no aprofundamento da cooperação com a estatal para produção de xisto betuminoso. Atualmente, o Brasil é o maior produtor desse mineral.

Celso Amorim está desde domingo em viagem por países africanos. Hoje (25), o ministro deve assinar oito acordos com o governo marroquino, nas áreas de meio ambiente, saúde, cooperação agrícola e inspeção animal.

Também hoje ele se reuniu com o primeiro-ministro de Marrocos, Abbas El Fassi, e com o ministro da Economia e das Finanças, Salahedinne Mezouar, que demonstrou interesse no modelo do Bolsa Família e levantou a necessidade de se aprofundar o acordo de preferência tarifária que Marrocos tem com o Mercosul.

Fontes