Governo do Amapá inicia força tarefa para atualizar números de vacinados no estado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de julho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Na manhã desta quarta-feira, 7, os 20 digitadores contratados e treinados pelo Governo do Amapá, iniciaram a tarefa de auxiliar os municípios amapaenses na atualização dos dados da vacinação no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização.

O primeiro município a receber o auxílio é Macapá, que tem a maior demanda de fichas cadastrais represadas. Na prática, os dados sobre o número de pessoas vacinadas no estado é desconhecido até que os municípios tenham realizado a atualização e, como a demanda é muito grande e a estrutura das imunizações municipais são limitadas, este é mais um suporte que o governo estadual está ofertando às prefeituras para avançar na vacinação do povo amapaense.

Alan Sousa Tavares, da Central de Armazenamento e Distribuição de Imunológicos (Cadi/SVS) e suporte técnico do SIPNI, foi o responsável pelo treinamento dos novos digitadores que já entraram em ação.

Alan explicou que junto com um técnico da Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) realizou o cadastro dos digitadores no SIPNI e que o município levou as fichas até o Prodap, no centro de Macapá, onde a força tarefa está funcionando.

“Não sabemos quantas são, mas está na casa dos milhares. São 10 digitadores agora pela manhã e 10 pela tarde e eles estão indo bem, então espero que em uma semana possamos vencer a maior parte da digitação das fichas no sistema. O mesmo faremos com todos os municípios que precisarem deste auxílio”, declarou o técnico.

Andréa Marvão, coordenadora da imunização estadual, explicou que conhecer o real número de vacinados no Amapá é item fundamental para qualquer tipo de planejamento.

“Os dados de vacinação estão represados e precisamos saber de fato quantas pessoas estão vacinadas no Estado, pois a partir desta análise poderemos manter as estratégias utilizadas ou teremos que buscar outras. O Importante é imunizar nossa população o mais rápido possível”, declarou Marvão.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit