Governo do Amapá e Opas atuam para conter surto de sarampo em Oiapoque

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de julho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Equipes do Governo do Amapá e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) realizam uma visita técnica ao município de Oiapoque nesta quarta-feira, 7, com o objetivo de tratar com as autoridades locais sobre o surto de sarampo na região, combate à covid-19, fortalecimento da vigilância em saúde na fronteira e a construção do centro binacional de vigilância e respostas epidemiológicas transfronteiriças.

Equipes da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) estão em Oiapoque para criação de uma força tarefa para combater ao surto de sarampo e auxiliar nas campanhas de vacinação.

Atualmente, Oiapoque está com baixa cobertura vacinal para o sarampo, em torno de 50% para a primeira dose e 21% para a segunda dose, tendo 17 casos suspeitos da doença e 5 confirmados pelo Laboratório de Fronteira (Lafron/SVS).

O superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia, enfatizou que o Governo do Estado vai disponibilizar 25 vacinadores entre enfermeiros, técnicos de enfermagem e digitadores, para atuar na cobertura vacinal de sarampo, covid-19, influenza e as demais necessidades locais. A ideia é a formação de cinco equipes que irão atuar nas comunidades de difícil acesso no município. Além disso, as equipes irão atualizar os cadastros dos cidadãos vacinados.

"Vamos disponibilizar equipes do Governo do Estado, que em parceria com o município, irão avançar na vacinação das pessoas. Só assim iremos no caminho do bloqueio do sarampo e na contenção dos casos de outras doenças”, afirmou Malafaia.

Como parte da força tarefa, mais uma vez o Amapá conta com a colaboração dos técnicos da Organização Pan-americana de Saúde (Opas).

"Estamos à disposição para apoiar o estado e o município, tanto para surto de sarampo como para outras questões. Este surto é de interesse internacional pelo contexto que está ocorrendo na fronteira. Estamos aqui para entender como a OPAS irá apoiar nas ações", afirmou Maria Almiron, coordenadora da Unidade Técnica de Vigilância, Preparação e Resposta a Emergências e Desastres da OPAS. Ficou definido que a OPAS, entre outras ações, irá auxiliar de forma técnica e logística o trabalho dos vacinadores.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit