Governo de Zapatero proíbe manifestação da Associação Vítimas do Terrorismo em frente o Congresso

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fonte de Neptuno, em Madrid.

30 de junho de 2005

Uma manifestação convocada para protestar contra a política antiterrorista do governo do presidente José Luis Rodríguez Zapatero da Espanha, marcada para a quinta-feira (30 de junho), em frente ao Congresso, teve que mudar de lugar. Uma delegação do governo teria comunicado à Associação Vítimas do Terrorismo (AVT) que a manifestação não poderia realizar-se por "razões de segurança". A concentração terá que acontecer em Neptuno (Praça Cánovas do Castelo), ao meio dia da quinta-feira.

A AVT, que convocou a manifestação com a Associação de Ajuda às Vítimas de 11 de março de 2004, opõe-se ao fechamento da chamada Comissão do 11 de março (que investiga as mortes ocasionadas pelo atentado) e à porta aberta pelo governo de Rodríguez Zapatero para uma eventual negociação com a organização terrorista vasca ETA.

Rodríguez Zapatero chegou a reunir-se com sete associações de vítimas do terrorismo, que pediram ao governante para não dar concessões ao ETA e retomar o Pacto pelas Liberdades e Contra o Terrorismo.

Zapatero pediu um voto de confiança, comprometeu-se a acabar com a violência e insistiu que no momento não há nenhum diálogo com o ETA.

Fontes