Governo Trump bate recorde de execuções em mais de meio século

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O governo federal estadunidense levou a cabo esta madrugada pela décima terceira vez desde julho a execução de um preso condenado à morte.

Dustin Higgs tinha sido condenado à morte pelo assassinato de três mulheres no estado de Maryland. Em declarações antes da execução Higgs negou ter ordenado o assassinato das três mulheres.

O Departamento de Justiça da administração Donald Trump reiniciou a execução de condenados pela justiça federal depois de uma suspensão de 17 anos dessas execuções.

O número de execuções federais levadas a cabo durante a administração Trump desde 2020 é o maior em 56 anos, reduzindo o número de presos nos “corredores da morte” do sistema prisional em quase um quarto.

Na quarta-feira foi executava uma mulher — Lisa Montgomery — que havia sido condenada à morte por matar uma mulher grávida e retirado o bebê do ventre, dizendo depois que era o seu filho.

É pouco provável que alguns do cerca de 50 homens que ainda aguardam execução pelo governo federal venham a ser executados nos próximos anos porque o presidente eleito Joe Biden já indicou que tenciona pôr termo às execuções federais.

A maior parte das penas de morte nos Estados Unidos são aplicadas a nível estadual e 22 estados já aboliram a pena de morte e outros 12 não levam a cabo qualquer execução há 10 anos.

O ano passado foram executadas 17 pessoas condenadas à morte no país, incluindo 10 pelo governo federal, o número total mais baixo desde 1991. Outras 18 pessoas foram condenadas à morte o ano passado em sete estados.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com