Governador Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por homofobia e uso da máquina para política

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de outubro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Durante a visita ao Maranhão, Bolsonaro (apartidário), que acumulou preconceito, xenofobia e discurso homofóbico, poderá ser processado pelo próprio governador contra a máquina política estatal de campanha por sua "brincadeira" homofóbica contra o Maranhão.

Num momento de descontração entre a delegação e os apoiantes, o presidente foi convidado a provar o Guaraná Jesus, típico refrigerante rosa nacional, através de transmissão ao vivo nas redes sociais. Entre outras coisas, disse: “A declaração pode ouvi-la às dez e trinta segundos de "ao vivo" ”.

Poucas horas depois, o governador Flavio Dino anunciou na rede social que Bolsonaro seria o alvo da ação e lamentou a atitude do presidente. "Ele veio para o Maranhão por causa da sua constante falta de cortesia e cortesia." O mais sério é "Propaganda política com fundos públicos".

Durante as eleições municipais e a pandemia, a delegação presidencial usou a estrutura federal para visitar os municípios e embarcou em uma plataforma com a presença de representantes e pessoas que anunciaram o seu apoio ao polêmico candidato do estado.

Fonte


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit