França: dois ex-agentes presos por venderem informações à China

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de julho de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Dois ex-agentes franceses foram condenados a prisão de oito a doze anos na sexta-feira (10), acusados de venderem informações para a China. Este caso já dura vários anos, eles já haviam sido detidos temporariamente em dezembro de 2017.

De acordo com a Agence France-Presse, o tribunal francês concordou com um julgamento a portas fechadas para proteger testemunhas e impedir o vazamento de informações confidenciais, e decidiu que ambos "prejudicam interesses nacionais".

O relatório afirmava que os dois homens eram ex-funcionários da Agência Francesa de Segurança Estrangeira (DGSE), subordinada ao Ministério da Defesa.

Culpados

Pierre-Marie, de 69 anos, ex-funcionário público, foi condenado a doze anos de prisão. Sua esposa também foi condenada a dois anos. Outro réu, Henri, é um soldado de 73 anos que passou parte de sua vida na China, foi condenado a oito anos.

Em 1997, Henry foi nomeado representante em Pequim, mas segundo secretário da embaixada retornou à França em 1998 por ter um relacionamento com a intérprete chinesa na embaixada. Alguns anos depois, ele se aposentou e retornou à China em 2003. Se casou com a tradutora e se estabeleceu em Hainan.

Pierre-Marie nunca esteve no exterior. Depois de entrar em contato com um oficial de inteligência chinês em uma ilha no Oceano Índico, ele foi preso no aeroporto de Zurique com muito dinheiro.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit