Fiesp volta atrás sobre manifesto pró-democracia após ameaça do Governo Bolsonaro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

31 de agosto de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

"É um abuso", declarou a jornalista Miriam Leitão durante o Bom Dia Brasil de hoje, ainda dizendo que a Caixa Federal e o Banco do Brasil foram "politizados" pelo Governo Bolsonaro, após a direção das duas instituições ameaçar deixar a Febraban caso a Fiesp divulgasse hoje um manifesto pró-democracia.

O documento, chamado “A Praça é dos Três Poderes", tinha o apoio de mais de 200 representantes de empresas de São Paulo.

Oficialmente, Paulo Skaf, presidente da Fiesp, justificou afirmando que, devido à alta adesão ao manifesto, resolveu postergar a divulgação para que mais empresas pudessem aderir. “O manifesto em defesa da pacificação e harmonização teve uma adesão em um só dia de 200 instituições brasileiras. E outras disseram que gostariam de participar, mas precisavam de mais prazo. Por essa razão, foi aberto período maior para adesões”, disse ele.

Dirigentes das empresas que já aderiram pressionam Skaf para que o documento seja publicado ainda antes de 07 de setembro, dia em que devem ocorrrer manifestações pró-Bolsonaro.

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit