Evo Morales encerra greve de fome após Lei Eleitoral ter sido aprovada

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

15 de abril de 2009

Evo Morales permaneceu seis dias em greve exigindo um acordo do Congresso

O presidente da Bolívia Evo Morales encerrou na madrugada desta terça-feira sua greve de fome que durava 6 dias, após o Congresso Boliviano ter aprovado uma nova lei eleitoral que irá reger as eleições Bolivianas de dezembro.

Os 83 artigos da lei foram votados pelos senadores e deputados e cabe ao presidente promulgá-la. Este foi o principal motivo para que Morales acabasse com a sua greve de fome de seis dias.

Morales anunciou que promulgará ainda nesta terça-feira a nova lei eleitoral, que permitirá sua candidatura em dezembro a um novo mandato de cinco anos.

Para que a nova lei fosse aprovada pela oposição, o presidente boliviano concordou em adotar as novidades tecnológicas para evitar fraudes eleitorais.

De acordo com a BBC Brasil, as autoridades eleitorais bolivianas farão a coleta das digitais dos eleitores, que também serão fotografados.

No entanto, a Corte Nacional Eleitoral da Bolívia afirmou que não será possível implementar o novo sistema antes das eleições de dezembro.

Além disso, o governo permitiu, pela primeira vez, que os eleitores que não moram na Bolívia possam votar. Cerca de 300 mil bolivianos que moram no exterior serão beneficiados.

O governo também concordou em reduzir de 15 para sete o total de cadeiras destinadas às minorias dos grupos indígenas das áreas rurais do país.

Fontes