Evacuação massiva: alerta vermelho para erupção do vulcão La Soufrière

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por Tempo - Meteored

Na última quinta-feira, 8 de abril de 2021, foi detectado um aumento na atividade sísmica relacionada ao vulcão La Soufrière, que havia expelido apenas lava por meses. Especialistas sismólogos e vulcanólogos alertam para o perigo, para que as autoridades tomem providências a respeito. O primeiro-ministro Ralph Gonsalves, pediu a mais de 16 mil habitantes (dos cerca de 110 mil de São Vicente e Granadinas), que se encontravam na área em alerta vermelho nas proximidades do vulcão, que evacuassem com urgência a área em regime de obrigatoriedade.

Erupções explosivas

Naquela mesma quinta-feira à noite o vulcão lançou uma nuvem de fumaça, cinzas e vapor que atingiu 6 mil metros de altura, foi então que uma cúpula de lava também se tornou visível, reafirmando que uma grande erupção explosiva era iminente. Em São Vicente e Granadinas, nenhuma atividade vulcânica notável foi registrada desde 13 de abril de 1979, e o respeito por este colosso de 1.234 metros de altura refere-se a uma triste marca deixada por La Soufrière em 1902, quando uma explosão de fumaça e material piroclástico, provocou a morte de cerca de 2.000 pessoas, além de danos significativos às terras agrícolas que deterioraram a economia.

A Unidade de Pesquisa Sísmica (SRU) da Universidade das Índias Ocidentais (UWI), em Trinidad e Tobago, que ajuda no monitoramento da erupção, indicou atividade às 8h41 (horário local) de sexta-feira. Os sismólogos confirmaram que uma "erupção explosiva" estava ocorrendo. Os evacuados tiveram que ser rapidamente transferidos através do serviço de balsa para as ilhas próximas, ou transferidos para abrigos em outras partes de San Vicente em um local mais seguro na ilha. Uma terceira explosão também ocorreu na mesma sexta-feira, 9 de abril.

A nuvem de fumaça era visível do sul da ilha de Santa Lúcia, o país mais próximo. A Organização Nacional de Gerenciamento de Emergências (NEMO) local informou que as cinzas de La Soufrière chegaram ao Aeroporto Internacional de Argyle, localizado a 19 quilômetros de distância. Além disso, autoridades do NEMO informaram a mídia local sobre o aumento da atividade do vulcão Monte Pelee, na ilha de Martinica, ao norte de São Vicente. A maioria das ilhas das Pequenas Antilhas faz parte de um longo arco vulcânico no Caribe Oriental.

Evacuação urgente

O Escritório de Gerenciamento de Emergências da Ilha de São Vicente e Granadinas aumentou o nível de alerta para vermelho quando as autoridades começaram a evacuar as milhares de pessoas que viviam perto do vulcão, enquanto os residentes viviam horas complicadas de frenesi.

As ilhas de Santa Lúcia, Dominica, Grenada, Barbados e Antigua ofereceram abrigo às vítimas. Dois navios de cruzeiro chegariam ao porto de Kingstown para ajudar no processo de evacuação, após as erupções do dia 9 de abril. Devido à pandemia covid-19, as autoridades de saúde locais indicaram que os evacuados devem ser vacinados no caso de serem transferidos em navios de cruzeiro para outros países.

O primeiro-ministro pediu a toda a população que ficasse alerta, enquanto o governo jamaicano se mostra disponível para enviar ajuda e assistência humanitária, oferecendo suas equipes de emergência se necessário, enquanto Belize e Palestina comunicam por meio de suas embaixadas seu apoio e solidariedade ao primeiro ministro também.

Através de sua conta oficial no Twitter, a NEMO reiterou aos habitantes do nordeste e noroeste da ilha que deixem a área "imediatamente". Em entrevista coletiva realizada na manhã do dia 9 de abril, no Centro de Pesquisas Sísmicas, cientistas alertaram a população que, uma vez que haja uma erupção, outras são esperadas e que devem ficar atentos às instruções de suas autoridades para salvaguardar suas vidas.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit