Etiópia: relatório aponta para limpeza étnica no Tigray

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

1 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por VOA News

Um relatório da Administração dos Estados Unidos (EU) revela que o Governo da Etiópia conduz "uma campanha sistemática de limpeza étnica" sob o manto da guerra na região de Tigray, amplamente controlada pelas milícias Amhara no norte do país.

O New York Times, que teve acesso ao documento elaborado no início de fevereiro, diz que o relatório descreve "em termos rígidos uma terra de casas saqueadas e vilas desertas, onde dezenas de milhares de pessoas estão desaparecidas".

O mesmo jornal acrescenta que o relatório conclui que oficiais etíopes e milicianos aliados da região vizinha de Amhara, que se mudaram para Tigray em apoio ao primeiro-ministro Abiy Ahmed, estão "deliberadamente e eficientemente tornando Tigray Ocidental etnicamente homogênea através do uso organizado da força e intimidação".

O documento afirma que algumas pessoas fugiram para o mato ou cruzaram ilegalmente a fronteira com o Sudão, enquanto outras foram presas e realocadas à força em outras partes de Tigray.

Secretário de Estado pede ações

Ontem, 27, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse que os Estados Unidos estão "seriamente preocupados com relatos de atrocidades e a deterioração geral da situação em Tigray".

Os EUA “repetidamente alertaram o Governo etíope sobre a importância de acabar com a violência, garantir o acesso humanitário a Tigray e permitir uma investigação internacional completa e independente de todos os relatos de violações, abusos e atrocidades contra os direitos humanos”, disse Blinken, acrescentando que os responsáveis por eles "devem ser responsabilizados".

O chefe da diplomacia americana apelou à União Africana e aos parceiros regionais e internacionais a trabalharem com os EU para "enfrentar a crise em Tigray, inclusive através de ações na ONU e noutros órgãos relevantes".

Blinken sublinhou ainda que a "retirada imediata das forças da Eritreia e das forças regionais de Amhara de Tigray são os primeiros passos essEnciais" a serem tomados pelo Governo etíope, acompanhados de "declarações unilaterais de cessação das hostilidades por todas as partes no conflito e um compromisso de permitir a assistência às pessoas em Tigray".

O líder republicano no Comité de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes, Michael McCaul, também emitiu uma declaração no sábado, no qual insta o Governo de Joe Biden "a tomar medidas decisivas para responsabilizar os responsáveis por quaisquer atrocidades cometidas" na região de Tigray.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit